Coloana Infinita

Latinidades Periféricas e Minoritárias: a necessidade de um novo paradigma editorial

by Saint Julian

sigla_ulbs_mica

Proposta conjunta, da responsabilidade de Ana Carvalho e de Júlio Mendes Rodrigo, foi aceite para apresentação no âmbito da Conferência Internacional: (Re)construindo a latinidade: identidades nacionais e transnacionais das culturas românicas. Abordagens interdisciplinares e transdisciplinares.

Universidade „Lucian Blaga” de Sibiu, Roménia
2123 de Novembro de 2013

Conference website:
http://conferences.ulbsibiu.ro/latinity2013/

Em preparação: Hypérion

by Coloana Infinita Editora

hyperion-capa02-blog

Com o título original Luceafărul (A Estrela da Manhã), a opera magna do romeno Mihai Eminescu (1850-1889) foi publicada pela primeira vez em 1883. Na tradução para português, Hypérion/A Estrela da Manhã, revela-nos o eterno drama da imortalidade que nunca pode conhecer a ventura terrestre. Confere um sentido atemporal, de eterno, na forma como aborda dinâmicas de aproximação e de afastamento entre finito e infinito. O amor é simultâneamente a maior energia de contacto, que induz o desejo  que é impossível e, pela impossibilidade de consumação, o amor é também a causa de afastamento.

É com o poema Hypérion – A Estrela da Manhã, considerado como uma das mais belas composições da poesia europeia do século XIX, expressão da alma ávida do homem Universal que foi Eminescu, que se iniciam as actividades editoriais da Coloana Infinita.

Tradução: Victor Buescu
Nota editorial: Ana Carvalho e Júlio Mendes Rodrigo
Nota de leitura: Profª Doutora Helena Carvalhão Buescu
Introdução à presente edição: Alina Bako
Imagem da capa: “Innocence“, por Franz Von Stuck